«Seibo no Kishi» (Cavaleiro da Imaculada)
27
Jul 12
publicado por FireHead, às 02:41link do post | Comentar

Por Fernando Nascimento

 

Foi S. João Crisóstomo no Século IV que cunhou pela primeira vez o nome “Bíblia”, porque nem os judeus a chamavam assim. A palavra “Bíblia” vem do Grego “Biblos” = O Livro. (1)

 

Foi Santo Atanásio, que através da sua Carta dirigida às Igrejas sob a sua jurisdição em Constantinopla, que delimitou o Novo Testamento tal como conhecemos hoje. E isto ocorreu no ano de 367 DC. (2)

 

Em 390 a Igreja reuniu os livros que hoje compõem a Bíblia a partir da versão da Septuaginta para os livros do Velho Testamento, e que foi a versão que Cristo e os Apóstolos usaram nas citações contidas do Antigo Testamento, nos Evangelhos e Cartas Apostólicas (eles não usaram a versão de Jâmnia porque o cânone do Sínodo da Jâmnia ocorreu posteriormente, no ano 100 DC, e foi organizado para expurgar os livros cristãos da Bíblia). (3) 

 

Contraditoriamente, Lutero foi buscar no cânone da Jâmnia a base para a sua Bíblia, justo o Sínodo fariseu que criou as regras para expurgar das Escrituras os textos cristãos.

 

Segue-se, no inicio dos anos 400 a tradução de S. Jerónimo de toda a Bíblia, Antigo Testamento e Novo Testamento, dos originais gregos, aramaicos e hebraicos, o que chamamos de Vulgata Latina, onde o “vulgata” quer dizer "popular" pois o latim vulgar era a língua falada pelo povo e não pela Igreja, que usava o latim eclesiástico, mais elaborado e difícil. (4)

 

No século VII, ocorreu a primeira tradução da Bíblia para uma nova língua surgida pela formação dos Estados Nacionais, a Bíblia foi traduzida para o Francês. Também no século VII foi feita a tradução para o Alemão, a primeira, não a de Lutero, que só seria feita 800 anos depois. (5)

 

Para o Inglês a Bíblia católica foi traduzida no século VIII, por Adelmo, bispo de Sherborne, e S. Beda o Venerável.

 

Uma tradução do século IX da Bíblia para o inglês (no dialecto anglo-saxão) foi feita por Alfred. Uma tradução do séc. X para o inglês foi feita por Aelfric. Foi feita uma tradução em 1361 da maior parte das Escrituras no dialecto inglês (anglo-normando). Isto foi vinte anos antes da tradução de Wycliffe em 1381. (6)

 

Também no século IX, a Bíblia foi traduzida para o Eslavo, por Cirilo e Metódio, evangelizadores desses povos. (7)

 

A divisão da Bíblia em capítulos e versículos, que os protestantes usam para se situarem, foi uma criação de um Bispo Católico, o arcebispo católico britânico de Canterbury, St. Estêvão Langton (morreu em 1228), que foi o primeiro a dividir as Escrituras em capítulos: 1.163 capítulos no Antigo Testamento e 260 no Novo Testamento. (8)

 

A primeira versão da Bíblia para o Espanhol ocorreu no século XIII , sob o Rei Afonso V de Castela, 300 anos antes de Lutero. (9)

 

Em 1300 DC temos a primeira tradução da Bíblia para o Norueguês, 200 anos antes de Lutero. (10)

 

E a primeira Bíblia impressa foi a Bíblia Católica, impressa pelo Católico Gutemberg no ano de 1454 DC, quase 100 anos antes de Lutero. (11)

 

E a impressão da Bíblia é que fez com que ela se popularizasse, cem anos antes da revolta do monge alemão apóstata.

 

Veja, agora, um trecho católico anterior à Revolta protestante, que, no meu entender, seria suficiente para encerrar a questão:


Todos os cristãos devem ler a Bíblia com piedade e reverência, rezando para que o Espírito Santo, que inspirou as Escrituras, capacite-os a entendê-las... Os que puderem devem fazer uso da versão latina de São Jerónimo; mas os que não puderem e as pessoas simples, leigos ou do clero... devem ler a versão alemã de que agora se dispõe, e, assim, armarem-se contra o inimigo de nossa salvação. (12)

Termina assim o engodo dos que mentem dizendo que a Igreja escondeu a Bíblia do povo, e impedia que fosse lida. Antes de Lutero fazer a sua tradução a seu bel prazer para o alemão, com critérios que excluíam sete livros cristãos da Bíblia, desde o século VIII, a Igreja Católica já traduzia para o vernáculo a Palavra de Deus para o povo.

O próprio Lutero disse: "foi um efeito do poder de Deus que o papado preservou, em primeiro lugar, o santo baptismo; em segundo, o texto dos Santos Evangelhos, que era costume ler no púlpito na língua vernácula de cada nação..." (13)

 

Como se vê, a falácia protestante de que a Igreja foi contrária à Bíblia, é, não somente uma falsidade, como não possui qualquer embasamento histórico.

 

-----------------

 

Notas:

 

(1) "What Say You?" p. 244-289 © 1945 By David Goldstein.

 

(2) The Bible Through the Ages © 1996, Readers Digest Association, New York.

 

(3) Ler sobre escritos do Mar Morto em http://www.vivereparvo.com/estudos/os_rolos_manuscritos.htm

 

(4) Fonte protestante: http://comunidadeabiblia.net/teologia/estudos-biblicos/a-biblia-vulgata.html

 

(5) The Catholic Encyclopedia, Volume XV Copyright © 1912

 

(6) Encyclopedia Britannica © 1999-2000

 

(7) Warren H. Carroll, The Building of Christendom (Christendom College Press, 1987) pp. 359, 371, 385.

 

(8) The Only Begotten, Chapter 7, p. 130 by Michael Malone: CATHOLIC TREASURES, © 1997

 

(9) Imperial Encyclopedia and Dictionary © 1904 Volume 4, Hanry G. Allen & Company

 

(10) The Encyclopedia Britannica © 1999-2000

 

(11) The Bible Through the Ages © 1996, Readers Digest Association, New York.

 

(12) The publisher of the Cologne Bible [1480]

 

(13) De Missa privata, ed by Jensen, VI, Pg 92.

 

 


Fonte: Fim da farsa


Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12

19
21

23
24



Links
Pesquisar blogue
 
blogs SAPO