«Seibo no Kishi» (Cavaleiro da Imaculada)
08
Fev 13
publicado por FireHead, às 00:35link do post | Comentar

 

Quando olhamos para trás no tempo, vemos uma única Igreja fincada na Rocha que é Jesus e que foi confiada a um homem cuja primazia é aplicada ao longo dos séculos sempre na pessoa do Apóstolo, o Papa.

 

A Igreja peregrina de Jesus no decorrer da sua história promoveu grandes transformações na humanidade, tanto do ponto de vista espiritual como cultural, social e politico. Essa mesma Igreja viu-se contestada por um único ser que ao rebelar-se trouxe consigo o que hoje se chama de ''força maligna" e que a princípio era vista como "o novo caminho" e até mesmo como o "fim da Igreja". Esse senhor como tantos outros dos nossos dias aproveitou-se da posição que ocupava enquanto membro da Igreja para lançar mão a um ataque cruel, covarde e impiedoso, transformando a mente de milhares de pessoas, levando-os à conhecida "revolta protestante". Essa suposta nova igreja nasceria com o propósito de justificar por meio de acções e palavras as falhas cometidas ao longo de quinze séculos pela então Igreja Católica e traria ao mundo a "verdade do Evangelho" de Cristo, rompendo com a iniquidade, com a idolatria, com a soberania religiosa e politica, e dando ao povo uma igreja limpa, transparente onde todos falariam por si só a Deus sem o intermédio de ninguém.

 

Pois bem, o que vemos na realidade é uma "igreja" fraca, inconsistente, movida por ataques infundados que levam milhares de "irmãos" ao vício da religiosidade e não à experiência do Evangelho de Cristo. As incansáveis divisões, a falta de comunhão e o apelo por fiéis fizeram surgir o que a Bíblia anunciou há anos: os "falsos profetas", homens que virão em primeiro plano arrancar riquezas e poder à custa de Deus, alienando e formando uma enorme corrente de pseudo-cristãos, que aprendem mais a julgar do que viver e experienciar as verdades incrustadas e irrefutáveis do Evangelho praticado por Jesus Cristo.

 

Infelizmente os nossos irmãos separados perderam a referência cristã e logo quando são questionados partem para a ignorância tentando impor uma meia verdade ditada por um meio cristão formado por uma meia igreja. Cristão de verdade reza para que a verdadeira e única Igreja de Cristo retorne do céu e faça prevalecer o que é bom e agradável aos olhos de Deus.

 

Ser católico é defender e honrar o Evangelho de Cristo, agindo com justiça e caridade, mas é também opor-se às mentiras infundadas, criadas apenas para semear a discórdia, a divisão e o ódio entre os que crêem.


Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10

17
21
22



Links
Pesquisar blogue
 
subscrever feeds
blogs SAPO