«Seibo no Kishi» (Cavaleiro da Imaculada)
17
Out 12
publicado por FireHead, às 17:54link do post | Comentar | Ver comentários (6)

 

O Cardeal Peter Turkson, natural do Gana e presidente do Conselho para a Justiça e a Paz do Vaticano, que disse que é impossível um diálogo teológico com os muçulmanos, parece estar a ser apontado como o sucessor de Bento XVI na liderança da Igreja fundada por Jesus Cristo. O próximo Papa poderá finalmente ser um negro?

 

Li por aí na Internet que não falta quem aponte Peter Turkson como o próximo Papa Pedro Romano (Petrus Romanus), que, de acordo com a profecia de São Malaquias, será o último Papa da História. São Malaquias profetizou que o mundo como conhecemos chegaria ao fim com a perseguição à Igreja e o martírio daquele que será o 112º Papa (Bento XVI é o 111º). Este último Papa antes de morrer verá a destruição do Vaticano, simbolizando a sua morte no exílio o profetizado estado de quase morte da Santa Igreja antes do regresso glorioso de Jesus Cristo.

 

O nome do próximo Papa conforme a profecia, Pedro, será o nome verdadeiro do homem que se tornará Papa, como é o caso de Peter (Pedro) Turkson? Até ao momento nenhum Sumo Pontífice usou o nome Pedro por respeito a São Pedro Apóstolo, o primeiro Papa, aquele a quem, segundo a Bíblia, Cristo entregou as chaves dos céus e encarregou de confirmar os seus irmãos. No pontificado do último Papa dar-se-á a grande apostasia e este Papa marcará a primeira parte da Grande Tribulação. Com toda a apostasia que podemos ver nos dias de hoje, o próximo Papa poderá ser um Papa que reconduzirá a Igreja Católica à sua verdadeira essência através da defesa da verdadeira doutrina católica, a "sã doutrina da salvação".

 

Segundo o que eu apurei, todas as profecias indicam que o Vaticano será invadido, tal como a maioria dos países mediterrânicos, por forças russas e turco-iranianas muçulmanas. O Papa Bento XV foi o Papa da Primeira Guerra Mundial e o Papa Bento XVI será o Papa que assistirá ao início da Terceira Guerra Mundial. Este morrerá pouco depois, sendo depois eleito o último Papa, Pedro Romano, que conduzirá os destinos da Igreja durante a vindoura guerra apocalíptica.


Também será interessante cruzar informações doutras profecias que parecem falar da influência demoníaca da Maçonaria que, dentro da Igreja Católica e usando-a como aliada, materializará o governo mundial liderado pelo Anticristo, que seria, conforme profetizou São Francisco de Assis, um Papa não canonicamente eleito e que causará um grande cisma na Igreja, o que obrigará à fuga em condições calamitosas do Papa que for legitimamente eleito. O Papa Anticristo governará o mundo a partir do Vaticano (algumas das muitas profecias aqui).

 

Como escreveu o Padre (carismático) Jonas Abib, o Anticristo aparecerá como alguém bom que fará a proposta de ser o governador do mundo inteiro, apresentando às pessoas a possibilidade de solucionar os grandes problemas que angustiam a Humanidade. Muitas vão aceitá-lo e este terá a arrogância de se colocar no lugar de Deus, sentando-se na cadeira de São Pedro, no coração da Igreja, para ser adorado como tal. O seu objectivo, porém, mesmo que de início não o manifeste, será acabar com o Cristianismo através da concretização maçónica da Nova Ordem Mundial, onde todos os sistemas religiosos são válidos através de um grande sincretismo.

 

Diz o Catecismo da Igreja Católica (675) que "Antes do advento de Cristo, a Igreja deve passar por uma provação final que abalará a fé de muitos crentes. A perseguição que acompanha a peregrinação dela na terra desvendará o 'mistério de iniquidade (perversidão)' sob a forma de uma impostura religiosa que há-de trazer aos homens uma solução aparente aos seus problemas, à custa da apostasia (negação) da verdade. A impostura religiosa suprema é a do Anticristo, isto é, de um pseudo-messianismo em que o homem glorifica a si mesmo em lugar de Deus e do Seu Messias que veio na carne".

 

"Essa impostura anticrística já se esboça no mundo toda vez que se pretende realizar na história a esperança messiânica que só pode realizar-se para além dela através do juízo escatológico... A Igreja só entrará na glória do Reino por meio desta derradeira Páscoa, em que seguirá o Seu Senhor na Sua Morte e Ressurreição. Portanto, o Reino não se realizará por um triunfo histórico da Igreja segundo um progresso ascendente, mas por uma vitória de Deus sobre o desencadeamento último do mal, que fará a Sua esposa descer do céu. O triunfo de Deus sobre a revolta do mal assumirá a forma do Juízo Final depois do derradeiro abalo cósmico deste mundo que passa" (677).

 

Será que estamos mesmo a caminhar para a derradeira concretização das profecias?

 

"Aquele que perserverar até ao fim será salvo" (Mateus 24:13).


Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

14
19

23
26
27



Links
Pesquisar blogue
 
subscrever feeds
blogs SAPO