«Seibo no Kishi» (Cavaleiro da Imaculada)
23
Mai 12
publicado por FireHead, às 20:56link do post | Comentar

O Vaticano tornou públicas as normas da Igreja sobre aparições e outros fenómenos sobrenaturais. Estas normas que visam evitar os falsos milagres foram estabelecidas em 1978 mas eram mantidas secretas ou, pelo menos, nunca tinham sido publicadas por um órgão oficial da Igreja.

 

As normas foram publicadas hoje no site da Congregação para a doutrina da fé (www.doctrinafidei.va) e, para já, ainda não estão traduzidas em português. No entanto, o documento intitulado "Normas para proceder ao discernimento de pressupostas aparições e revelações" pode ser lido em latim, inglês, francês, espanhol, italiano e alemão.

O documento é acompanhado por um prefácio do cardeal William Levada, justificando a publicação das normas. E lembrando as palavras proferidas pelo Papa Bento XVI, em 2008, em relação ao significado das "revelações privadas": "O critério para julgar a veracidade de uma revelação privada é a sua orientação para o próprio Cristo. Se nos afasta dele, então certamente não provém do Espírito Santo."

O documento prevê critérios positivos e negativos para encarar o milagre, como, por exemplo, avaliar o equilíbrio psicológico do indivíduo que testemunhou o milagre, a sua história individual, e integridade e a ausência de vantagens materiais ou de comportamentos considerados desviantes. A publicação destas normas, espera o cardeal, irá ajudar os padres que são os primeiros a contactar com os testemunhos de aparições e revelações e que têm de decidir qual o seguimento a dar ao caso.

 


Fonte: Diário de Notícias


publicado por FireHead, às 04:52link do post | Comentar

Um menino protestante de apenas 6 anos ouvia sempre os seus amigos Católicos a rezar a Avé Maria. Ele gostou tanto da oração que copiou-a num papel e recitava-as todos os dias. "Olha, mãe, que oração tão linda!", disse o garoto um dia à sua mãe. "Nunca a repitas, meu filho!", respondeu a mãe. "Esta é uma oração supersticiosa dos Católicos, que adoram ídolos e pensam que Maria é uma espécie de Deusa, mas na verdade ela não passa de uma mulher como uma outra qualquer. Pegue nesta Bíblia e leia-a, nela encontramos tudo o que devemos e o que não devemos fazer."

Daquele dia em diante o menino deixou de rezar diariamente a Avé Maria e dedicou-se mais à leitura da Bíblia. Um dia, quando lia o Evangelho, leu a passagem da anunciação do anjo à Nossa Senhora. Cheio de alegria, correu até a sua mãe e disse: "Mãe, eu encontrei a Avé Maria na Bíblia, aonde diz: 'Avé, cheia de graça, o Senhor é contigo, bendita és tu entre as mulheres' (Lucas 1, 28). Porque é que chamaste esta oração de supersticiosa?" Numa outra ocasião ele encontrou a linda saudação de Santa Isabel à Virgem Maria e encontrou também o maravilhoso Cântico Magnificat, no qual Maria profetizava: "Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada"(Lucas 1, 48). Ele não mais comentou estas passagens com a sua mãe, mas voltou a rezar a Avé Maria todos os dias como fazia anteriormente. Ele sentia prazer em recitar aquelas fascinantes palavras para a Mãe de Jesus, Nosso Salvador.

Aos 14 anos, ele ouviu os membros de sua família a discutirem entre eles por causa de Nossa Senhora. Todos eles diziam que Maria era uma mulher comum como qualquer outra. O rapaz, depois de ouvir estas absurdas afirmações, não aguentou mais e com indignação interrompeu-os, dizendo: "Maria não é como qualquer filha de Adão manchada pelo pecado. Não! O anjo chamou-a de cheia de Graça e bendita entre as mulheres. Maria é a Mãe de Jesus Cristo e, consequentemente, a Mãe de Deus! Não existe dignidade maior para com uma criatura. O Evangelho conta-nos que as gerações a chamarão bem-aventurada e vós a desmereçais e menosprezais? Os vossos espíritos não são os mesmos do Evangelho ou da Bíblia, que proclamam ser a fundação da religião Cristã."

O que o rapaz disse deixou uma impressão tão profunda que conseguiu, por várias vezes, fazer a sua mãe chorar de dor. "Ai, meu Deus! Tenho medo que este meu menino um dia se junte à religião Católica, a religião dos Papas!" E realmente não tardou muito para o rapaz descobrir a única e verdadeira religião, depois de um sério estudo sobre o protestantismo e o Catolicismo, tendo-a abraçado e se tornado um dos seus mais ardentes apóstolos.

Algum tempo após a sua conversão, ele encontrou-se com a sua irmã casada que o censurou e lhe disse: "Tu sabes o quanto eu amo os meus filhos. Se algum deles um dia desejar tornar-se Católico, eu preferirei perfurar o coração deles com um punhal. Antes isso do que permiti-los abraçar a religião dos Papas." A fúria dela era tão profunda quanto a de São Paulo antes da sua conversão. De qualquer forma, ela iria mudar a sua maneira de ser, tal como São Paulo a caminho de Damasco.

Então ocorreu que um dos filhos dela ficou perigosamente doente e os médicos já tinham perdido a esperança na recuperação do menino. Aí o irmão chegou até ela e, conversando afectivamente, disse-lhe: "Minha querida irmã, tu naturalmente desejas que o teu filho seja curado. Muito bem então, o que eu te pedir, tu fazes! Vamos rezar uma Avé Maria e prometer a Deus que, se o teu filho ficar bom, tu irás estudar seriamente a doutrina Católica  e chegarás à conclusão que o Catolicismo é a única e verdadeira religião, e não importa quão grande seja este sacrifício, pois tu irás abraçar esta Fé."

A sua irmã estava relutante no começo, mas como ela desejava a recuperação do seu filho mais que tudo, acabou por aceitar a proposta do irmão e rezaram juntos a Avé Maria. No dia seguinte, o filho dela estava completamente curado. A mulher cumpriu então a sua promessa e estudou a doutrina Católica. E, após uma longa preparação, ela recebeu o sacramento do Baptismo juntamente com os restantes familiares e agradeceu ao seu irmão por ter sido um apóstolo para ela.

Esta história foi contada num sermão dado pelo Padre Tuckwell, que continuou o sermão dizendo: "O tal rapaz que virou Católico e que converteu a sua irmã e familiares ao Catolicismo passou a dedicar a sua vida toda ao serviço de Deus. Aquele garoto que virou padre está a falar convosco neste exacto momento! O que eu sou devo à Nossa Senhora. Vós também, meus caros fiéis, sejai totalmente dedicados à Nossa Senhora e nunca vos esqueçais de não passar um único dia sem rezar esta linda oração, a Avé Maria, e o Terço. Peçai a Ela para iluminar as mentes protestantes que estão separadas da Igreja de Cristo, fundada sob a pedra (Pedro) e contra a qual as portas do Inferno não prevalecerão" (Mateus 16, 18).


Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

18

21
25

30


Links
Pesquisar blogue
 
subscrever feeds
blogs SAPO