«Seibo no Kishi» (Cavaleiro da Imaculada)
11
Abr 12
publicado por FireHead, às 02:35link do post | Comentar

O padre e autor de vários livros Dwight Longenecker tem um blogue chamado Standing on my Head. Ontem (dia 9 de Abril de 2012), ele fez uma análise bem simples sobre os argumentos usados contra o facto da ressurreição de Cristo. Como eu disse ontem, este assunto é tema de tese de doutoramento de William Craig (talvez o maior especialista no assunto do mundo). Craig tem mais argumentos, acho que há vídeos no Youtube no qual ele explica isso (até com legendas em português). Mas pela simplicidade e lógica dos argumentos, o texto do padre Longenecker merece ser lido.

 

Aqui vai tradução do texto do padre:

 

Ou Jesus Cristo ressuscitou dos mortos ou não. Se Ele não ressucitou, há apenas quatro opções:

 

. A coisa toda foi inventada.

. Os discípulos cometeram um erro honesto.

. Jesus realmente não morreu.

. Jesus morreu, mas alguma coisa aconteceu com o Seu corpo.

 

 

A coisa toda é uma ficção

 

Nesse grupo estão os académicos que pensam que os primeiros Cristãos gostavam das histórias de deuses pagãos de morte e ressurreição e decidiram adoptá-las e adaptá-las para o seu herói Jesus.

Problema: Os primeiros Cristãos eram judeus e tanto para os Cristãos como para os judeus os gentios pagãos eram o grande problema. Eles eliminavam qualquer aspecto do paganismo e morreriam antes de oferecer um grão de incenso aos deuses pagãos. Teríamos de acreditar que eles alegremente colocaram histórias pagãs na história de Jesus?

Também nesta categoria estão os académicos da "escola da demitologização" que dizem que, "de alguma maneira bonita os ensinamentos de Jesus continuaram a ser vividos pelos Seus seguidores após a morte de Cristo, e não é isso realmente o que a ressurreição significa?

Problema: o Novo Testamento diz que realmente aconteceu. Eles eram pessoas simples, trabalhadoras, que ficaram aterrorizadas, desnorteadas, confusas e espantadas, não do tipo que sai por aí construindo contos de fadas.

 

 

Os discípulos cometeram um erro honesto

 

Neste grupo estão as pessoas que dizem que os discípulos tiveram um sonho ou pensaram ter visto um fantasma, ou, atormentados pela dor, eles imaginaram que Jesus estava realmente vivo novamente. Talvez eles tenham tido uma alucinação. O que aconteceu foi que eles fizeram um erro honesto.

Problema Nº 1: Eles eram pessoas de cabeças duras, da classe trabalhadora, que sabem distinguir sonho da realidade. Eram pescadores, colector de impostos, prostituta... Estas pessoas podem ser frágeis, mas não eram sonhadoras e visionárias.

Problema Nº 2: Os inimigos de Cristo tinham a intenção da Sua morte. Eles queriam ter a certeza da execução. Se ouvissem histórias de uma ressurreição, eles teriam produzido o corpo. E diriam: "Perdão, rapazes. Vós estais sonhando. Aqui está o corpo do seu mestre, e está começando a cheirar mal."

 

 

Jesus realmente não morreu

 

Esta é a alternativa mais louca. O Homem foi açoitado com cordões de couro com pedaços de cerâmica e de vidro que rasgaram grande parte da carne do Seu corpo. Depois, Ele foi crucificado em público por carrascos profissionais (que a própria vida pode ser arriscada se não matar a sua vítima). O golpe de lança entrou na cavidade do coração e a ciência médica moderna diz que a água e o sangue só saem após a morte já ter ocorrido. Se a pessoa ainda estava viva apenas o sangue fluiria. Nós devemos acreditar que o autor do primeiro século do Evangelho tinha esse tipo de conhecimento médico, com o intuito de fingir?

Problema: Mesmo com a possibilidade de que de alguma forma Jesus sobreviveu à flagelação, os espancamentos e a crucificação, é suposto acreditar que, uma vez envolto em linho e colocado num túmulo com uma pedra de duas toneladas no lugar onde Ele acordou, desembrulhou o linho, dobrou-o cuidadosamente, colocou o ombro para a pedra e rolou para trás a partir do interior e entrou no jardim para atender os Seus amigos. Assim, o corpo do Homem estaria quebrado e ferido. Ele teria cambaleando nu e quase morto com os Seus discípulos dizendo: "Olhai! É a ressurreição gloriosa do Senhor Jesus Cristo!"

Uhh. Acho que não. Será que não dizem, "Geesh! Eca! Ele sobreviveu. Vamos levá-lo a um médico!"

 

 

Outra coisa aconteceu com o corpo

 

De acordo com esta teoria, eles jogaram o corpo de Jesus no monte de lixo e o cachorro comeu-o ou os discípulos foram ao túmulo errado ou eles roubaram o corpo.

Problema Nº 1: os judeus eram (e ainda são) muito meticulosos sobre enterrar os seus mortos. Não há evidência de que eles jogaram o corpo fora. Exactamente o oposto, todas as evidências são de um enterro cuidadoso e respeitoso. Se não fosse este o caso, as testemunhas oculares teriam corrigido o relato do Evangelho falsificado.

Problema Nº 2: os discípulos roubaram o corpo? Estamos a crer que esses homens que eram covardes demais para seguir o eu Senhor para a Sua morte de repente descobriram a sua coragem e organizaram uma conspiração que conseguiu enganar os líderes judaicos, Pilatos e os guardas no túmulo de Jesus?

Problema Nº 3: Se eles roubaram o túmulo, eles iriam sofrer tortura e martírio para manter uma farsa? Qual era o ganho para eles? Eles iam ser os fundadores de uma nova religião e ganhar muito dinheiro? Eles estavam-se a tornar mundialmente famoso por criar uma farsa para levar as pessoas a seguir um criminoso executado como seu Senhor e Salvador?

 

Não. A ressurreição de Jesus Cristo é o ponto de viragem da história humana. É o facto em torno do qual tudo gira. Decida hoje de novo para torná-lo o ponto de viragem da sua vida e o facto de em torno do qual gira toda a sua vida. A sua vida pode depender dela!

 

 

Fonte: THYSELF, O LORD


Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10

16
17

22
28



Links
Pesquisar blogue
 
subscrever feeds
blogs SAPO