«Seibo no Kishi» (Cavaleiro da Imaculada)
01
Jan 15
publicado por FireHead, às 16:46link do post | Comentar
O professor de Química e Toxicologia da Universidade de Perúgia (capital da Úmbria, Itália), Tarcisio Mezzetti, experimentou uma profunda conversão ao Cristianismo com uma especial sensibilidade e capacidade de discernimento no que diz respeito às «espiritualidades obscuras» e o trato com o que é demoníaco.
O seu livro, Como un león rugiente (Ediciones Elledici), que aborda temas ocultos, tornou-se popular. Fundador da Comunidade Magníficat, com 24 fraternidades em Itália, Roménia, Argentina e Turquia, e com os estatutos aprovados pelo arcebispo de Perúgia, Mezzetti concedeu em 2012 uma entrevista a Sor Emmanuel Maillard, da Comunidade das Bem-Aventuranças, em que falou sobre o reiki (霊気 - «espírito e energia»), uma coisa que dizem ser «uma prática espiritual enquadrada no vitalismo» fundada pelo «monge» budista japonês Mikao Usui que «tem por base a crença na existência da energia vital "Ki" (a versão japonesa do conceito chinês "Qi" [ou "Chi"]), manipulável através da imposição de mãos» (Wikipédia) e que supostamente cura doenças apesar de não ser reconhecido pela medicina nem pela ciência.
«O reiki é uma coisa muito perigosa, quiçá a pior de todas da nossa época, porque apresenta-se como o meio quase milagroso de cura. Conheci muita gente que fez reiki, o primeiro curso, o segundo curso, e que depois precisaram de um exorcismo para poderem ser libertados», começou por dizer Mezzetti. «O terceiro nível de reiki é quando começam os maiores perigos já que os mestres dizem claramente que esse poder que cura é recebido dos espíritos da montanha sagrada do monge Usui». Os próprios caracteres 霊気 têm uma interpretação alternativa em japonês: ryōge, que significa «demónio; fantasma» (ou melhor, possessão espiritual). E avisou os cristãos: «a terapia reiki não é compatível com os ensinamentos cristãos e não tem nenhuma evidência científica, seria absolutamente inoportuno as instituições católicas - como por exemplo os centros de saúde, as casas de retiros espirituais ou pessoas que representam a Igreja, como os capelões - promoverem ou fomentarem a terapia reiki». E citou São Tomás de Aquino: «Ele disse na Suma Teológica: "Satanás, o que faz o mal, também às vezes faz o bem para preparar um mal maior!» As curas do reiki são, portanto, coisas que o demónio usa para manter o praticante de reiki preso a si, pois invoca-o e elogia-o ainda que a pessoa não saiba que se trata do demónio ou dos demónios. Porém, continuou Mezzetti, existem curas «assombrosas» que desafiam a Física e que o demónio não consegue realizar, mas sim Deus, e contou um caso em que viu, no santuário de Lourdes (França), um homem com a tíbia partida a mergulhar-se na água do lago e que saiu de lá curado: «Isso o reiki jamais poderá fazer! Os milagres que vêm de Deus são milagres autênticos de verdade. Satanás não pode fazer coisas parecidas».
Em Portugal, o exorcista Pe. Duarte Sousa Lara, filho do antigo subsecretário de Estado da Cultura de Cavaco Silva, António de Sousa Lara, que meu deu um 16 no relatório final do meu curso no ISCSP (Instituto Superior de Ciências Sociasi e Políticas), afina pelo mesmo diapasão e garante que «o aumento dos casos de pessoas com graves distúrbios espirituais tem a ver sobretudo com a paganização que grassa na Europa e com o incremento das práticas de bruxaria, feitiçaria, ciências do oculto, rituais satânicos e coisas desse género. Tantas coisas que agora estão muito na moda, como o yoga, o reiki ou outras formas de exercício espiritual, são caminhos facilmente percorridos pelo demónio. É preciso ter muito cuidado com essas coisas».
O jovem pároco de Folgosa, Desejosa e Valença do Douro, na diocese de Lamego, é um dos padres exorcistas autorizados pela Igreja, mas reconhece que são necessários mais exorcistas. «O demónio é muito inteligente, tenta sempre enganar quem lida com ele, e um exorcista não se improvisa. É como na medicina: seria imprudente pôr um estudante do 2.º ano a fazer uma operação ao coração, até lá chegar, tem de fazer muitas com os mestres", disse o Pe. Duarte Sousa Lara que acompanhou durante 11 anos o sacerdote italiano Gabriele Amorth, considerado o maior exorcista do mundo, e salvou a vida a uma professora universitária e designer de moda de nome Aldina, que experimentou diversas práticas esotéricas - reiki, astrologia, espiritismo e outras práticas ocultistas (Nova Era) -, após três exorcismos em 2013. Considera ele que em Portugal «as coisas, embora devagar, vão andando no sentido positivo, e há cada vez mais abertura, até dentro da própria Igreja, para debater estes assuntos».  «O demónio existe, é uma verdade de fé. Deus revelou-nos que o demónio existe. E constato todos os dias que há uma crescente necessidade de práticas de exorcismo. (...) O exorcismo tem uma razão de ser e tem acompanhado a nossa história. Em toda a Europa cristã, este era um ministério com grande expressão sobretudo nos primeiros séculos contra o paganismo e os ritos ocultos. Volta a fazer sentido agora com o aumento de casos com graves distúrbios espirituais pelo crescimento do neopaganismo (Nova Era), de que fazem parte tudo o que é astrologia, adivinhação, bruxaria, reiki, tarôs e por aí fora. O demónio mete aí a unha».
O Pe. Duarte de Sousa Lara costuma receber cerca de 60 pedidos de ajuda por semana. Tratam-se de pessoas que recorrem primeiro ao médico mas que não conseguem obter respostas para os seus males «porque nem tudo é explicável pela medicina». «Desses, só consigo atender à volta de seis, que são os mais graves. Gostaria de atender mais, mas tenho outros encargos. Divido-me entre as paróquias de Folgosa, Desejosa e Valença do Douro, em Lamego». Os possuídos «por vezes manifestam uma força física anormal», «entram em transe e depois falam os demónios por eles», proferindo «palavrões, blasfémias, insultos, tentam agredir as pessoas que estão à volta, cospem, gozam, riem-se». O sacerdote salienta ainda que «na nossa cultura sobressaem dois vícios especialmente graves que têm a mão do demónio: um é a luxúria, a idolatria do prazer sexual; outro é a superstição pela qual divinizamos alguma criatura ou força criada, caindo assim na idolatria, na adivinhação ou na magia. Não sei se a crise tem trazido o diabo para o meio de nós. Sou da opinião de que as aflições materiais ajudam-nos espiritualmente, no sentido que Deus às vezes permite abanões. Só nos lembramos de ir a Fátima e começar a rezar o terço quando não conseguimos pagar a luz. Há males que vêm por bem».
Quem acredita em Deus também acredita no demónio, isso é lógico. Mas o facto de haver quem não acredite em Deus e no demónio não significa que Deus não existe nem que o demónio não existe, como também é lógico. Aliás, como dizia o poeta francês Charles-Pierre Beaudelaire (1821-1867), «a maior astúcia do demónio é fazer acreditar que ele não existe». O Magistério e a Tradição da Igreja sempre defenderam a existência do demónio porque é um «adversário real, inimigo de Cristo e do Seu reino». Para além da Bíblia, o Catecismo da Igreja Católica fala cerca de 40 vezes do demónio. A possessão diabólica é apenas uma das manifestações da existência e do poder do demónio. Infelizmente hoje em dia o tema da existência do demónio foi votado ao estatuto de tabu e a própria Igreja dos dias de hoje, conciliar e modernista, parece ter problemas em falar disso. Muitos até preferem dizer que o demónio é apenas um «simbolismo» e não uma entidade real. Se calhar é porque têm medo de assustar as crianças...

Sei que meu comentário não será publicado…
Sou padre da igreja católica apostólica Romana, e praticante de reiki e ioga…
Vejo um grande fechamento deste grupo que escreve este blog… Aqui no Brasil estas práticas são muito difundidas ,
Muitos padres são mestres Henrique e a conferência de religiosos do Brasil tem um núcleo de terapias Ulistka as
Lembro que Thomas nertom , Monge católico, viveu entre os monges zen budistas durante alguns anos… Louvou a prática dos tibetanos de serem um povo orante… Para hinos de demônios usar as religiões, pois todas são capazes de levar a Deus de viverem o amor , A justiça, a paz tornando cada homem e mulher seres dignos de serem chamados filhos e filhas de Deus
Padre Rogério a 9 de Junho de 2016 às 23:25

«Sou padre da igreja católica apostólica Romana, e praticante de reiki e ioga…»

As profecias não mentem sobre a existência de «lobos disfarçados de cordeiros» que não conseguem suportar a «sã doutrina da salvação».
FireHead a 11 de Junho de 2016 às 05:03

Caro Padre Rorério, faz todas essas práticas demoníacas, mas não acredito que reze o Santo Rosário todos os dias!!!!

procure:
Bispos norte-americanos condenam o Reiki
sabina a 5 de Setembro de 2017 às 12:33

Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
29
30
31


Links
Pesquisar blogue
 
blogs SAPO