«Seibo no Kishi» (Cavaleiro da Imaculada)
22
Fev 12
publicado por FireHead, às 02:07link do post | Comentar

Vede que ninguém vos engane. Porque virão muitos em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo, e seduzirão a muitos. (Mateus 24, 4-5)

Aqui está uma lista de algumas seitas religiosas de A a Z, com algumas informações inerentes a cada uma delas. Todas elas constituem um perigo real para quem delas se aproxima.


Ananda Marga

Ananda Marga (Caminho da Felicidade Perfeita) é um grupo de origem hindu fundado em 1955 por Prabhat Ranjan Sarkar, conhecido pelos seus seguidores como Baba (deus). A doutrina está baseada no tantrismo e no yoga. A sua doutrina realiza-se em sessões de meditação e lições de filosofia hindu.
O grupo apresenta-se no Ocidente como espiritual e pacífico, mas a sua história na Índia é controversa. Na década de 60 do século passado organizou motins e atentados políticos e na década de 70 o governo decidiu proibi-los e deteve Baba, responsabilizado por vários assassinatos. Em Junho de 1975, Indira Gandhi decretou a total expulsão da organização.
Ananda Marga e mas de 1500 membros foram encarcerados. Um ano depois um grupo de seguidores, como protesto por o seu líder estar preso, suicidaram-se ao bonzo em praças públicas.

Rajneesh Chandra Mohan nasceu na Índia em 1931. Fundou o seu primeiro ashram em 1969 e teve o seu momento de auge até o fim da década de 79 e princípios dos 80 do século XX quando instalou a sede principal nos Estados Unidos. A sua doutrina baseia-se no yoga tântrico e foi conhecido como o 'guru do sexo'.
Os adeptos são captados através de cursos terapêuticos ou de meditação e hoje tiveram um ressurgimento através de terapias vinculadas à Nova Era. Nas terapias de grupo são utilizadas técnicas de hiperventilação, música e gritos que levam à ruptura emocional do adepto.
Em 1983, o governo dos Estados Unidos começou a investigar as denúncias de "sacerdotes" e ex-adeptos, detendo-os e expulsando do país. Os fiscais norte-americanos encontraram o ashram, que tinha estabelecido no estado de Oregon, onde o guru, apóstolo da paz e do amor, possuía o seu próprio exército particular. Rajneesh faleceu na Índia em 1990.

 

Escolas do Quarto Caminho

As escolas do Quarto Caminho, ou agrupamentos de denominação similar, baseiam-se nos ensinamentos de um mestre esotérico de origem russa chamado George Gurdjieff e do seu discípulo Ouspensky.
Gurdjieff expressa a ideia de que os seres humanos, com raras excepções, vivem num estado análogo ao do sonho.
Para superar este estado sonolento deve-se despertar acordando-se de si mesmo. Para isso utiliza diversos exercícios (super esforço, training psicológico, movimentos rítmicos, danças rituais, tarefas que o mestre ordena).
Por sua parte, Ouspensky expressava que a única saída que o homem tinha era através das Escolas e os ensinamentos do mestre e nessa evolução o discípulo podia elevar-se e tomar consciência até chegar a "N7", a escala mais alta para um homem.

 

Grupos Espíritas

A origem deste movimento remonta-se ao lar das irmãs Fox, que em 1848 expressaram que se comunicavam com os espíritos dos mortos. Mas a grande figura que dará transcendência a esta corrente foi Allan Kardec, que publicou importantes livros como "O livro dos Espíritos" e o "Evangelho segundo o Espiritismo".
A doutrina expressa que a pessoa consta de três elementos: o corpo material, a alma ou ser imaterial e um cordão que une aos dois e que pode ser visto nas sessões espíritas através dos médiuns.

 

Grupos Gnósticos

Os gnósticos perseguem a libertação da consciência, como o instrumento que nos permite investigar a realidade dos mundos superiores.
Este movimento nasceu no século II da nossa era e produziu o primeiro confronto importante dentro da doutrina cristã. Os gnósticos afirmam que Jesus Cristo ensinou duas doutrinas: uma para o mundo comum e outra para os discípulos. Foram expulsos da Igreja, logo após um encarniçado debate.
O gnosticismo contemporâneo nasce na Colômbia quando Samuel Aun Weor, funda o Movimento Cristão Gnóstico Universal em 1950. Este líder expressava num de seus livros que: "A Igreja gnóstica é a Igreja invisível de Jesus Cristo. Para ver esta Igreja há que se viajar em corpo astral e somente o nosso movimento pode ensinar esse segredo". O estudo dentro do gnosticismo dura aproximadamente quatro anos e neles é ensinado filosofia, arte, religião e ciência, tudo numa óptica esotérica.

 

Hare Krishna

O hindu Abhay Charan De, mais conhecido como Bhaktivedanta Swami Prabhupada, fundou a Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna em 1965. A Doutrina está baseada na filosofia advaita e os preceitos do guru. A sua norma central baseia-se em cantar um mantra: hare krishna, hare krishna, krishna, krishna, hare, hare, hare rama, hare rama, rama, rama, hare, hare, um mínimo de 1728 vezes por dia, e praticar os quatro princípios regulativos (não comer carne, peixe ou ovos; não praticar sexo ilícito; não tomar intoxicantes; e não praticar jogos de azar nem especulação mental, isto é, não raciocinar).
Os adeptos vivem em estruturas fechadas e devem obedecer cegamente ao guru. Após a morte de Prabhupada em 1978, a seita começou a declinar e caracterizou-se por rupturas e escândalos produzidos pelos seus novos líderes. Tanto nos Estados Unidos como na Europa foram denunciados pelas suas técnicas de reforma de pensamentos e pelo tráfico de jóias e drogas.

 

 

Igreja da Cientologia

A Igreja da Cientologia, também conhecida como Dianética, é considerada pelos investigadores como um dos grupos mais destrutivos do mundo sectário. O seu fundador foi o norte-americano Ronald Hubbard, um ex-oficial da marinha e escritor de ficção científica.
Dianética apresenta-se como "uma ciência exacta do pensamento que funciona sempre, invariavelmente, e não às vezes, como as curas pela fé ou as terapias tradicionais. Dianética é a única Rota de Saúde para a humanidade".
Os adeptos são captados quando lhes é oferecido cursos e testes gratuitos. Nas sessões, chamadas 'audições', são ajudados a superar as suas falhas espirituais que os levaram ao sofrimento. A maioria dos adeptos termina dependendo psicologicamente do grupo e entregando o seu dinheiro.
Este grupo foi denunciado por vários governos europeus e nos Estados Unidos o FBI desmascarou as suas actividades.

 

 

Igreja Universal do Reino de Deus

A Igreja Universal do Reino de Deus foi fundada por Edir Macedo no Brasil em 1977.
Antes de autoproclamar-se "bispo", Macedo trabalhou como funcionário da lotaria do estado do Rio de Janeiro. A Igreja Universal é similar a outros evangélicos pentecostais. Por exemplo, acreditam na deidade de Jesus Cristo, na Trindade, na ressurreição corporal de Jesus Cristo e na salvação pela graça através da fé.
A doutrina central do "bispo" Macedo é a luta contra os demónios e a teologia da prosperidade. A Igreja Universal pratica a libertação de demónios nos fiéis. Em todos os seus templos se ora pela libertação de espíritos.


 

Maçonaria

Sugere que Deus, o Grande Arquitecto, fundou a Franco-maçonaria, e que esta teve por patrões Adão, os Patriarcas, os reis e filósofos de outrora. Inclusive Jesus Cristo está incluído na lista como o Grande Mestre da Igreja Cristã.
Os maçons estão obrigados unicamente à observância da "lei moral" resumida praticamente nos princípios de "honra e honestidade" nos que "todos os homens estão de acordo". Esta "religião universal da Humanidade", que gradualmente elimina as acidentais divisões da humanidade devida a opiniões particulares "ou religiosas" e aos "preconceitos" nacionais e sociais, deve ser o vínculo de união entre os homens na sociedade Maçónica, concebida como o modelo de associação humana em geral.

 

Meditação Transcendental

O guru Maharishi fundou o grupo em 1958 e, segundo os seus próprios escritos, não é uma religião mas sim uma técnica que serve para melhorar o estilo de vida através do recitar dum mantra durante 20 minutos de manhã e posteriormente de tarde.
O momento de maior auge da Meditação Transcendental deu-se em meados dos anos 60 quando o popular grupo britânico "The Beatles" foi fotografado com o guru. Em pouco tempo, eles ficaram desiludidos com as suas charlatanices e mentiras.

 

Missão da Luz Divina

O guru Maharaj Ji começou com a sua fama desde muito pequeno. Aos 13 anos e com apoio da sua família viajou até ao Ocidente. A sua doutrina ensina a reencarnação e a prática de três exercícios para aproximar-se do conhecimento do divino: a visão da luz divina, a escuta da música celestial, e a degustação do néctar divino.
O grupo que teve o seu auge nos anos 70 começa a declinar em meados dos 80 quando o seu líder se casa com uma comissária de bordo loira enfrentando a oposição da sua mãe e expulsa-a do grupo. É famoso por viver na opulência e a grande quantidade de Rolls Royce que possui.


Mórmones

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos do Últimos Dias, mais conhecidos como mórmones, foi criada em 1823 por Joseph Smith nos Estados Unidos. Segundo Smith, de 14 anos, um dia apareceu-lhe um anjo chamado Moroni e que lhe revelou a verdadeira história de Deus. O livro do Mórmon resume a sua principal doutrina, a qual é bastante confusa. Desde o princípio os mórmones tiveram problemas com a sociedade por aceitarem a poligamia e considerarem a raça negra como inferior.
Para evitar as perseguições fugiram para um deserto na zona oeste dos Estados Unidos, o que hoje se conhece como o estado de Utah, fundado por eles.
Durante os anos 70 foram acusados de trabalhar para a CIA em todo o mundo e de ter participado na derrocada de Salvador Allende no Chile e do general Torrijas no Panamá.

 

Meninos de Deus

Os Meninos de Deus nasceram em 1969 nos Estado Unidos. O seu fundador foi um pastor evangélico chamado David Berg. A doutrina do grupo baseia-se na Bíblia e na particular interpretação de seu líder, também conhecido como Moisés David ou Padre Mo. Odeiam o sistema, são apocalípticos e dão grande importância ao sexo, como presente de Deus.
Em 1972 começaram a ter problemas com a justiça norte-americana e posteriormente tiveram que passar à clandestinidade na maioria dos países ocidentais pelas denúncias de corrupção de menores e de prostituição.

 

Nova Era

As ideias e os objectivos da Nova Era recolhem elementos das religiões orientais, o espiritismo, as terapias alternativas, a psicologia transpessoal, a ecologia profunda, a astrologia, o gnosticismo e outras correntes. A Nova Era mistura-os e comercializa-os de mil formas, proclamando o início de uma nova época para a humanidade (a Era de Aquário, a de Anticristo).
Mas, no fundo, não parece ser mais que outra tentativa inútil de o homem de se salvar fazendo promessas que não pode cumprir e atribuindo-se poderes que não possui. Chegam ao cúmulo de dizer que os homens são Deus

 

Sai Baba

Sai Baba nasceu em Puttaparthi, um pequeno povoado da Índia, em 1920. A história oficial relata que aos 13 anos anunciou que "não era humano, era a reencarnação de um santo maometano, chamado Sai Baba de Shirdi".
O crescimento deste grupo deve-se em parte à linguagem light, não agressiva como outros grupos hindus. Sai Baba diz: "Todas as religiões são minhas. Vós não tendes necessidade de mudar de uma religião para outra, sigai adiante com os vossos próprios modos e vossas práticas de adoração e quando assim o fizerdes aproximarais mais e mais a mim". A religião de Sai Baba é a essência de toda a fé e toda a religião, incluindo aquelas como o islamismo , o Cristianismo e o judaísmo.

 

Seitas Satânicas

São poucos os autores que dão uma definição de seita satânica, principalmente porque tais grupos apresentam uma diversidade de estilos. Quiçá a definição mais exacta seja a de que a seita satânica é um grupo minoritário de pessoas reunidas premeditadamente com o objectivo de adorar o demónio, como um ser com poderes sobrenaturais capazes de intervir no mundo.
Os seus integrantes costumam ser principalmente pessoas com transtornos psicológicos e uma profunda rejeição a todas as instituições sociais estabelecidas: família, igreja, estado, etc.

 

Seitas “Ufonistas”

Nos últimos anos um facto novo ronda o mundo sectário. A aparição de dezenas de grupos, alguns muito pequenos e outros claramente organizados, que a partir do fenómeno "ufológico" (de UFO; OVNI) se estruturaram como seitas. Estes grupos em maior ou menor medida, afirmam que Jesus é um extraterrestre que vive confortavelmente numa nave espacial, orbitando pela Terra.
Entre outros grupos de maior actividade encontramos a Fundação Cosmobiofísica de Investigadores (FICI) de Pedro Romaniuk; o grupo alfa de Francisco Checchi, a Fundação para o Encontro Cósmico (FUPEC) que é presidida por Dante Franch; o comando Ashtar, fraternidade Cósmica que seguem ao italiano Eugenio Siragusa e Missão Rama do peruano Sixto Paz Wells.

 

Siloísmo

O seu fundador é o argentino Mário Rodrigues Cobo, mais conhecido como Silo. O grupo começa a funcionar nos anos 60 e através da sua história foi mudando de nome: Poder Jovem, A Comunidade, Partido Humanista, Partido Verde e desde 1988 como O Movimento.
A base teórica do siloismo consiste em praticar várias técnicas de autolibertação que levam a 'reconciliar o passado, presente e futuro' de cada pessoa. O adepto deverá realizar 'experiências guiadas' com um instrutor e que consistem em exercícios de meditação que lhe permitem reconciliar-se com o passado. Outra das experiências de meditação é encontrar-se com o 'guia interno' que deve ser construído e encontrado pelo próprio adepto.
O 'guia' deve ter três requisitos: "sabedoria, bondade e força"; não é um ser 'físico' e sua presença 'só é sentida' e para ser invocado deve ser chamado com uma 'grande força emotiva'.
O siloismo expandiu-se por vários países latino-americanos e europeus.

 

Testemunhas de Jeová

Charles Russell funda o grupo em 1872, ao romper-se com a Igreja Adventista. No princípio chamavam-se "A Torre de Vigia" e posteriormente "Aurora do Milénio", adoptando em 1931 o nome de Testemunhas de Jeová.
A doutrina dos Testemunhas é apocalíptica; anunciaram o fim do mundo em 1914, 1925, 1976, 1984 e 2000. Não acreditam na divindade de Jesus e rejeitam a imortalidade da alma. Desde o seu nascimento tiveram problemas em diversos países por negarem-se a aceitar deveres cívicos e sociais, assim como em não aceitarem as transfusões de sangue.
Mantêm-se isolados da sociedade e para isso possuem uma extensa lista de proibições para os adeptos.


Quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra? (Lucas 18, 8)

tags:

Bem a bíblia também nos adverte sobre o pecado de pregar falsos testemunhos Êxodo 20:16) eu como membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias conhecidos comos os mormons identifiquei algumas falsidades neste post .

Por exemplo, é falso de que o "livro do Mórmon resume a sua principal doutrina" pelo contrário o Livro de Mórmon é somente uma das obras que consideramos canónica. Também consideramos a Bíblia, o Doutrina & Convênios e a Pérola de Grande Valor como obras canónicas.

Quem colocou este post só demonstrou que não passa de um ignorante e que só fala do que não entende e naturalmente não será surpreendente que considere o evangelho de Jesus Cristo como "confuso". Como se costuma dizer é muita areia para a sua cabeça.

É verdade que a Igreja teve problemas com a doutrina do casamento plural (aka poligamia), porém não deveremos esquecer que a poligamia foi muito comum e amplamente descrita na bíblia como prática usual entre os grandes patriarcas. Porém não é verdade que tivemos problemas por considerar a raça negra como inferior, pelo simples motivo de que nunca existiu nenhuma doutrina desse tipo. Os inimigos da Igreja adoram citar frases proferidas por antigos líderes da Igreja que não passam de opiniões dos mesmos sobre um assunto extra-doutrinal. Não devemos esquecer que a sociedade dos EUA no Sec XIX encontrava-se dividida relativamente à questão da escravatura (tanto é que tiveram uma guerra cívil) e a Igreja tinha membros que eram a favor e outros contra.

A maior parvoíce que foi escrita neste post é a de que nos "anos 70 foram acusados de trabalhar para a CIA em todo o mundo e de ter participado na derrocada de Salvador Allende no Chile e do general Torrijas no Panamá."

A acusação em si é sem fundamento e provavelmente terá tido origem por na altura a maior parte da obra missionária ser composta por norte-americanos.
Hoje em dia dos 14 milhões de membros (com tantos membros dificilmente podemos considerar esta igreja como uma seita) mais de 50% reside fora dos EUA.

A Igreja é completamente apartidária e os seus membros são incentivados a serem bons cidadãos e estes exercem opções políticas dentro de todos os parâmetros políticos tanto de esquerda como de direita.
Cesar a 22 de Fevereiro de 2012 às 09:41

Bom, se isso para ti é pregar um falso testemunho parece que o problema não é meu. Vejamos, já agora, que mais diz a Bíblia e depois tenta harmonizar, se é que é possível, com a seita mórmon.

O que é o livro do mórmon? É um acrescento da doutrina. Repara: "Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; o qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema." (Gl 1:6-8) Se consideras outras obras como canónicas, logo contrarias São Paulo.

Sobre Joseph Smith, o vosso profeta: "Levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos." (Mt 24: 4-8). Smith restaurou alguma coisa com um suposto encontro com Deus, Jesus e com o anjo Moroni? Isto é refutado por São Paulo:nos últimos tempos, alguns apostariam da fé, dando ouvidos a doutrinas de demónios e espíritos enganadores (1Tm 4:1). Ora, Joseph Smith viveu no século XIX e deixou o Cristianismo por um evangelho que tinha uma doutrina nova, entregue por um suposto anjo. Se houve apostasia foi dele, e o seu perfil enquadra-se perfeitamente. Não devemos aceitar outro evangelho, nem de homens, nem de anjos! Isto está bem claro (Gl 1 8:9; 2 Co 11:4), logo o "evangelho mórmon" não veio de Deus.
Acusam os católicos de fanatismo, mas olha que os mórmones têm igual pretensão de considerar a sua "igreja" a única verdadeira. A diferença é que a Igreja Católica foi fundada por Cristo e a mórmon foi criada por Smith.

Até o "Cristo" que vocês adoram é falso: "Porque virão muitos em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo, e seduzirão muitos". (Mateus 24, 4-5). Segundo vocês, Jesus teria vindo para a América e formado uma Igreja que subsistiu até o ano 200 mais ou menos, mas segundo a Bíblia, após a ressurreição, Jesus ficou 40 dias com os discípulos, ensinando-lhes a respeito do reino de Deus (Act 1.3) e depois desse período subiu aos Céus e sentou-se à direita de Deus (Mc 16.19). Se fosse realizar a Sua missão para a América, para que serviram os discípulos e a missão que Ele lhes deu?
FireHead a 22 de Fevereiro de 2012 às 23:13

Caro Firehead

Estou preocupado consigo. Então o Sr . escreve falsidades acerca da minha religião e depois diz que isso não é problema seu!

Será que o Sr . sofre de alguma perturbação que o faz ter dupla personalidade, do estilo de ter atitudes e depois não as assumir com a desculpa que terá sido uma outra personalidade que as escreveu?

Depois foi curioso de que o Sr . nem sequer se dignou ao trabalho de refutar as minhas acusações, mas simplesmente despejou um conjunto de argumentos de assuntos não relacionados e que não são da sua autoria, mas são simples copy +paste de literatura anti-mórmon .

Este tipo de atitude só veio provar que eu tinha razão quando disse que o Sr era um ignorante relativamente ao mormonismo, porque quem busca conhecimento sobre a Igreja não o procura nos seus inimigos mas sim na própria Igreja. Pela sua lógica, dando como exemplo o futebol Português, as melhores fontes sobre o Futebol Clube do Porto seriam os adeptos do Benfica e vice-versa LOL.

Vamos então ao que interessa. Eu alertei sobre 3 falsidades no seu post.

Primeiro: O Livro de Mórmon não resume toda a doutrina da Igreja. Tal como eu disse temos outros livros canónicos, incluindo a Bíblia. O Sr não refutou esta minha acusação e só tentou mostrar que não acreditava no Livro de Mórmon. Meu caro Sr ., o que o Sr . acredita ou não acredita será um problema seu, porém o que está aqui em causa foi o Sr . dizer o LM resumia a nossa principal doutrina. Hellooo ....

De resto os argumentos que usou para criticar o LM são fracos, gastos e fora de moda, que nem sequer me vou dignar responder. Ao fim ao cabo estaria a seguir o seu jogo sujo. Procure como deve de ser e poderá ser que encontre as respostas aos seus argumentos ridículos.

Cesar a 25 de Fevereiro de 2012 às 18:39

Prezado César,

Não te preocupes comigo que eu estou muito bem e ciente de que quanto mais longe estiver da influência dos mórmones, melhor. Já acabaste de fazer uso da dissonância cognitiva? Muito bem.

Claro, como é que eu não me lembrei do anti-mormonismo? Que interessam os testemunhos deixados pelos ex-mórmones sobre os podres e a falsidade da seita se a partir do momento em que eles deixaram de ser mórmones passaram logo a ser anti-mórmones, ou seja, tudo o que eles dizem deixou de valer para o que quer que seja porque se tornaram inimigos? E assim fechas-te dentro da concha, blindado, continuando a acreditar na veracidade da tua "religião" - não faz mal, gosto de ver as pessoas felizes...

Eu não só não acredito no livro do mórmon com também nos convénios, na pérola e essas coisas todas, ok? Já reparei na blogosfera que qualquer que sejam os ataques feitos à SUD, os mórmones respondem sempre com a mesma lenga-lenga "ah e tal, você não conhece os ensinamentos portanto não entende e é ignorante, blá blá blá". A partir do momento que vocês mórmones têm práticas anti-bíblicas, deixam de ter fundamento. Mais refutação? Eh pá, a sério...

Isso é jogo sujo? Ah pois é, dá trabalho refutar... não faz mal. Nem eu nem tu vamos mudar mesmo, não é assim?
FireHead a 26 de Fevereiro de 2012 às 00:41

Caro Firehead

Está muito enganado acerca da minha pessoa. Eu pelo contrário nos últimos anos tenho analisado detalhadamente toda a literatura anti-mórmon e acredite que tem sido muito divertido! Posso afirmar com toda a consciência que essa literatura é muito pouco séria e fiel na descrição do evangelho restaurado de Jesus Cristo (aka doutrina mórmon).

Sabe não existem só ignorantes a falar da nossa igreja, existem muitos mais outros tipos de pessoas. Deixo-lhe um link no meu blogue sobre este assunto:

http://realidademormon.blogspot.com/2012/01/maledicente-oportunista-ignorante-ou.html

Sabe é um pensamento simplório de que as pessoas que dizem mal da igreja sejam todos "Anti-mormons". No meu entender existem existem anti-mórmons e descrentes do mormonismo. A diferença entre um anti-mórmon e um descrente é que um anti-mórmon para além de ser descrente tem uma actividade regular e sistemática a combater a igreja, cujas motivações são variadas, desde ao serviço de uma agenda (religião concorrente, política, lucro) ou até puro ressentimento e tanto pode ter sido membro da igreja como nunca ter sido. O que faz que seja anti-mórmon será mais a intensidade como combate a Igreja.

Para seu consolo, não o considero um anti-mórmon, mas sim um iludido pelo anti-mormonismo.

Olhe eu também não o pretendo mudar, se estou aqui a escrever é simplesmente para esclarecer outros leitores. É o que se pode chamar um serviço de contra-informação LOL

Cesar a 26 de Fevereiro de 2012 às 20:42

Percebi. Não muda nada.
FireHead a 26 de Fevereiro de 2012 às 21:52

É essa areia, tão clara que ela é, que confunde as cabeças, só pode...

Quanto à poligamia, ainda que importantes figuras bíblicas do Antigo Testamento tenham tido mais do que uma mulher, tal não pode contrariar o que Cristo pensava acerca do matrimónio, que é algo posterior, e isso Smith não teve em conta. Uma vez mais, uma facada em Cristo! Na vossa seita (não importa a quantidade de crentes ela tem, pois o islão também é uma seita e tem mais de mil milhões de crentes) não se faz distinção entre clérigos e leigos, pelo menos no que diz respeito aos homens (Laake 9). Todos os homens mórmons são ordenados como membros do "sacerdócio" e "O sacerdócio lhes dá o direito de informar e instruir os santos (isto é, os mórmons), e a sua jurisdição se estende sobre todas as coisas espirituais e temporais" (Snowden 134). Próprio Smith teve pelo menos onze mulheres além de sua esposa legal. (Wallace, 52). O carácter machista de Smith fez-se óbvio quando teve nova "revelação" de Deus que instruía a "minha serva Emma Smith, esposa de Joseph" para aceitar esta doutrina (poligamia) e permitir que ele tivesse tantas esposas quanto ele quisesse, contanto que todas elas fossem "virtuosas e puras" (Snowden 191 ). Até à sua morte, ele terá tido 27 a 40 mulheres (Snowden 282) e depois dele morrer a sua mulher deixou a seita. Os mórmones até dizem hereticamente que próprio Cristo era poligâmico (Hoekema 56) - onde está isso nos Evangelhos?

Vejamos mais: o casamento poligâmico é, basicamente, essencial para a teologia mórmon. A doutrina mórmon afirma que Deus foi uma vez um homem humano (confirmas esta heresia?) e que "Ele é agora uma Personagem glorificada, ressurrecta e tem um corpo tangível de carne e ossos" (250). E mais: "todos os deuses (POLITEÍSMO??) primeiro existiram como espíritos, vieram a uma terra para receber os corpos e, em seguida, depois de terem passado por um período de provação na terra citada, foram avançados para a posição exaltada que agora possuem" (Hoekema 38) - isso, outra vez, para explicar a poligamia... e o mais assustador é a GNOSE do mormonismo!! Isto só prova a quem é que a seita serve, ao "pai da mentira" (Jo 8:44). E se o casamento poligâmico é o "casamento celestial" e que, sem ele, a mulher não se salva (Green 154), então porque é que a seita teve problemas e há os mormons que são contra isso e os que são a favor?
FireHead a 22 de Fevereiro de 2012 às 23:35

Sobre a poligamia, se quiseres, podemos esmiufrar ainda mais a coisa...

Passando agora para o racismo, lê Nephi 5:20-24: "e por serem brancos, notavelmente formosos e graciosos, e para que não seduzissem a meu povo, o Senhor Deus fez com que sua pele se tornasse escura. E assim diz o Senhor Deus: Eu farei com que sejam repugnantes a teu povo, a menos que se arrependam de seus pecados. E amaldiçoada será a semente daquele que se misturar com a semente deles; E por causa da maldição que pesava sobre eles, tornaram-se um povo preguiçoso, cheio de maldade e astúcia, que se dedicou a caçar as feras do deserto". Agora vais-te contorcer todo para me explicares que isso é simbólico ou que a interpretação não é assim linear porque não existe racismo na seita ou então é porque, como disseste, são opiniões dos antigos líderes que com certeza deixaram a seita porque gostavam imenso daquilo! A Bíblia diz que "não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão. bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos" (Col 3:11). Mas agora dizes-me: "ah e tal, mas nós temos negros na igreja e também líderes negros". Pois claro que têm! Precisam de esconder a verdade. A Rainha de Sabá também era negra e foi recebida com todas as honras por Salomão. Segundo a tradição, ela até teria coabitado com ele e gerado um filho de quem o ditador Haile Salassie se dizia descendente. Em 1985, Joseph F. Smith, descendente do Smith principal, declarou no seu livro "The Way of Perfection" (O Caminho da Perfeição) que os negros constituem uma "raça inferior" e até hoje o Livro de Mórmon declara que a cor negra é sinal de maldição, enquanto a cor branca é sinal de bênção. Vais negar isso? Ou é má interpretação da minha parte?

Mas o pior mesmo é a hipocrisia que pregam. Qual é a visão mórmon acerca dos não mórmons, por exemplo, os católicos? Smith disse, em "History of the Church", que o "Meu objectivo ao dirigir-me ao Senhor era saber qual de todas as seitas estava certa, a fim de saber a qual me unir. Portanto, tão logo me controlei o suficiente para poder falar, perguntei aos personagens que estavam na luz acima de mim, qual de todas as seitas estava certa - e a qual me unir. Foi-me respondido que não me unisse a qualquer delas, pois estavam todas erradas". As Doutrinas e Convénios, outras formas de "revelação" em que vocês hereticamente acreditam, dizem: "Em verdade, em verdade eu te digo: Trevas cobrem a Terra e densa escuridão a mente do povo; e toda carne corrompeu-se diante de minha face." (Doutrinas e Convénios 112:23)

A verdade e a salvação está unicamente na única Igreja que Cristo fundou sobre Pedro: "Quem crer e for baptizado, será salvo; quem, porém, não crer será condenado." (Mc 16:16)
FireHead a 23 de Fevereiro de 2012 às 00:02

A segunda falsidade é de que não é doutrina da minha Igreja considerarmos a raça negra como inferior. Eu fartei-me de rir com a sua argumentação porque utilizou a chamada técnica do Eminem (a do filme que ele protagonizou), pôs-se a inventar as presumíveis desculpas que eu utilizaria para justificar uma doutrina racista. Sabe essa táctica pode ser engraçada para usar num filme e até ser útil para os rappers , mas neste caso não é mais do que uma falácia lógica. O Sr . pressupõe que é um facto assumido a nossa doutrina ser racista e nós estaremos a defender esse tipo de barbaridades. Pois não passa de mera presunção da sua parte, porque a doutrina mórmon não é racista. O próprio Livro de Mórmon diz claramente:

“Pois nenhuma destas iniquidades vem do Senhor, porque ele faz o que é bom para os filhos dos homens; e não faz coisa alguma que não seja clara para os filhos dos homens; e convida todos a virem a ele e a participarem de sua bondade; e não repudia quem quer que o procure, negro e branco, escravo e livre, homem e mulher; e lembra-se dos pagãos; e todos são iguais perante Deus, tanto judeus como gentios.” (II Nefi 26:33)

A maldição sobre os lamanitas teve a ver com a desobediência dos mesmos e não com a sua cor de pele. Como diz em Alma 3:14:

“Eis que amaldiçoei os lamanitas e marcá-los-ei, para que eles e seus descendentes sejam separados de ti e de tua semente de hoje em diante e para sempre, a menos que se arrependam de suas iniquidades e avoltem-se para mim, a fim de que eu tenha misericórdia deles”

Veja que a maldição é referida no passado e a “marca”, portanto a mudança de cor de pele, é referida no futuro. Portanto a maldição e a “marca” são coisas distintas, isto é a primeira uma condição espiritual e outra física que aconteceu posteriormente. Os lamanitas foram amaldiçoados pela sua desobediência (como todos os pecadores cuja maldição é de se afastarem de Deus) e não foram amaldiçoados com a pele escura. Eles ficaram escuros mais tarde, muito provavelmente porque os lamanitas terão se misturado com aborígenes locais com pele mais escura, essas diferenças preveniam o povo Nefita de se misturar com os lamanitas e consequentemente não ficarem na mesma condição espiritual dos lamanitas. Portanto a cor escura no livro de mormon é referido mais num contexto cultural e descritivo. Não é uma questão doutrinal, no máximo só mostra que dois povos não se misturaram porque eram inimigos e muito fruto dessa inimizade resultaria de diferenças culturais e físicas.

Bem depois o Sr . tenta provar que temos como doutrina a inferioridade da raça negra, apesar de o ter avisado do uso dessa falácia, o Sr . Insistiu em citar um antigo presidente da Igreja. Devo dizer-lhe que escolheu um argumento fraco (há melhores LOL). O livro Caminho da Perfeição foi escrito em 1931 (não em 1985 como o Sr . escreveu) e nessa altura Joseph Fielding Smith não era presidente da Igreja (só o foi 20 anos depois de escrever o livro, isto é em 1951). Não deixa de ser curioso que ele em 1962 já como Presidente da Igreja afirmou:

“Os Santos dos Últimos Dias, normalmente designados como Mórmons, não têm qualquer animosidade em relação aos negros. Nem sequer os descrevem como pertencendo a uma raça inferior” (Deseret News 14/06/1962). Repórteres na altura perguntaram a aparente contradição com o que tinha escrito há 20 anos atrás e este reafirmou o que a Igreja não considera a raça negra como inferior e o uso desse termo será infeliz e não fazendo justiça às capacidades dessas pessoas (Look Magazine 22/10/1963). Portanto Smith diferenciou claramente o que é doutrina da Igreja das suas opiniões pessoais que aparentemente ele terão mudado durante os vinte anos que decorreram desde a publicação do seu livro.

Quanto à 3ª falsidade que eu assinalei, mais propriamente dos mormons andarem a conspirar com a CIA para o derrube dos governos, o Sr . nem sequer tocou no assunto. Também é tão espafúrdia! LOL
Cesar a 25 de Fevereiro de 2012 às 18:41

Ainda bem que te riste com a "2ª falsidade". Eu também me ri imenso com as coisas que dois élderes me disseram certa vez quando vieram cá a casa, já há uns bons anos atrás. Saíram aqui os dois de trombas sem conseguirem responder às perguntas que tínhamos. O meu irmão até usava o livro do mórmon gentilmente oferecido pelos élderes para auxiliar uma das pernas da mesa que estava partida, que era para ela não cair.

O livro do mórmon tem contradições? A "falácia lógica" deve significar tapar o sol com a peneira... e muita, mas muita, interpretação pessoal. Sola Scriptura também em relação ao livro do mórmon??

Em relação à CIA, o que é me importa na verdade se conspiram ou deixam de conspirar? A Maçonaria é de longe muito pior que os mórmones...

Não vale a pena estar a discutir com alguém quando os argumentos que são apresentados são rotulados de anti-mormon, pois assim torna-se "one way discussion". Como diz o ditado, se te baixas ao nível de um louco e discutires com um, ele vence-te por causa da experiência que tem.

E grave mesmo, como eu disse, é a Gnose do mormonismo... e isso não mereceu refutação. E se Smith mudou durante os 20 anos que decorreram após a publicação do seu livro então é porque é grave também. O Maomé também era assim.

Posto isto, amigo, ficamos assim: eu na minha e tu na tua. Se estás feliz assim entre os mórmones, porquê mudar?
FireHead a 26 de Fevereiro de 2012 às 00:58

Caro Firehead

Fico contente que o Livro de Mórmon tenha servido para equilibrar alguma coisa na sua vida LOL

De resto não lhe fica bem gabar-se da sua pretensa vitória de debate com os missionários. Os missionários são uns jovens simplesmente treinados para ensinar o evangelho. Não têm treino para comparar doutrinas com outras religiões e para enfrentar o lixo anti-mórmon. O que lhes é dito é que quando aparecer alguma pessoa com esses argumentos, então devem prestar um testemunho das suas convicções pessoais sobre o evangelho porque essa é que é a missão deles. Portanto a sua fanfarronice, se me permite o termo, assemelha-se à dos miúdos que se gabam de bater nos miúdos mais pequenos.

Para terminar eu não pretendo muda-lo pretendo sim esclarecer os incautos que eventualmente leiam as falsidades que o Sr. escreveu no seu post. De si o máximo que posso pedir será um pedido de desculpas por estar a espalhar falsidades acerca da minha religião. Mas sei que naturalmente irei esperar sentado...
Cesar a 26 de Fevereiro de 2012 às 20:57

Por acaso não. Não houve fanfarronice mas sim perguntas legítimas que eles não foram capazes de responder, tendo ficado bloqueados. Os testemunhas de Jeová também já chegaram a fazer-me o mesmo, ou seja, a esquivar-se às perguntas e passar à frente na "evangelização".

Quanto ao pedido de desculpa, ele deveria ser recíproco, logo teríamos de ir ressuscitar o Smith que é para ele pedir desculpa por aquilo que ele considera ser os erros doutrinais que a Igreja Católica tem, ou o facto da Bíblia não ter sido bem entendida ou interpretada...

És livre de acreditares no que quiseres. Não me obrigues é a acreditar que aquilo em que tu acreditas é algo sério ou que a "Igreja Mormon" é de facto uma religião. E se o que eu aqui escrevi é anti-mórmon, é simples: não passes por cá. Quem não gosta, não consome. Até porque o que não falta por aí são blogues anti-mórmones tal como também existem sites anti-católicos...
FireHead a 26 de Fevereiro de 2012 às 21:57

Mais umas coisinhas anti-mórmon:

“Devo dizer-vos qual é a lei de Deus com relação à raça africana? Se o homem que pertence à semente escolhida [mórmon] misturar seu sangue com a semente de Caim [negros], a penalidade, sob a lei de Deus, é a morte no local. ISSO SEMPRE SERÁ ASSIM.” (Brigham Young, Journal of Discourses [jornal de sermões], vol. 10, pág. 110)

“Vós vedes algumas classes da família humana que são pretas, incultas, indecentes, desagradáveis e baixas em seus hábitos, selvagens e aparentemente privadas de quase todas as bênçãos da inteligência que em geral são concedidas à humanidade...” (Joseph Fielding Smith, The Way to Perfection [O caminho para a perfeição, página 102]
FireHead a 11 de Março de 2012 às 14:56

Devido ao isolamento e a obsessão por se diferenciarem, as seitas costumam ir desenvolvendo excentricidades ao longo do tempo, até chegarem a exageros e fanatismos. Convido a conhecerem meu canal no Youtube, "O que é uma Seita", onde estou desenvolvendo vídeos didáticos que ajudam a explicar este assunto. Abraços! https://www.youtube.com/channel/UCisnj-7zBRYe5E-Ze_Oj96Q
Flávio Amaral a 18 de Julho de 2015 às 20:05

Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

13
14




Links
Pesquisar blogue
 
blogs SAPO